Vidabrasil circula em Salvador, Espírito Santo, Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo Edição Nº: 295
Data:
30/11/2001
Capa | Edições anteriores| Assine já | Fale com a redação
Página visitada: 1319125 vezes
» Índice
» Editorial
Um peso, duas medidas
» Turismo
Uma viagem de sonho é o que proporciona o Explorer of the Seas, o maior navio de cruzeiro do mundo
» Paladar
Uma visita fantástica à região de Champagne, coração dos mais famosos vinhedos do mundo
» Autos
Ferrari 360 Spider sai da fábrica de Maranello com motor V8, 400 cavalos e 8500 rpm
» Triangulo
Gratz surpreende adversários ao apoiar a lei que extingue a imunidade parlamentar
» Boca Miuda
Sueli em campo
Triangulo

O presidente e o secretário  
 
Em entrevista concedida a VidaBrasil, edição n.º 283 de 30 de maio, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Mello, mandou um recado direto ao poder público, a quem o ministro responsabiliza por cerca de 80% dos processos daquela Corte. “Então é hora do poder público evoluir para observar o direito do cidadão, evitando a interposição de recursos que são meramente protelatórios”.  
Enquanto tal pensamento emana do presidente da mais alta Corte do país, o secretário da Fazenda João Luiz Tovar se estrebucha para, numa questão que já foi transitada em julgado, devolver ao agonizante mercado de automóveis os valores referentes a parcelas do ICMS recolhidas a maior.  
É que as concessionárias ganharam em todas as instâncias a ação contra o Estado e, para que a Justiça seja respeitada, o administrador público, no caso o secretário da Fazenda João Luiz Tovar, teria que efetuar imediatamente o pagamento. Parece que, no entanto, as maledicências e a onda de denuncismo têm amarrado os gestores da coisa pública. Mas nesse caso, por exemplo, o bom senso do secretário deveria orientá-lo a cumprir a lei, e já.  
 
Fátima amiga, adeus  
 
Ela passou como um santo meteoro pela história da Revista VidaBrasil e pela vida de todos os funcionários da casa. Competente, dedicada, leal, amiga, conselheira, são tantos predicados...  
Maria de Fátima Campos nasceu em São Luiz do Maranhão em 30/05/54 e nos deixou em 02/11/01, Dia de Finados.  
Uma batalhadora que por mais de cinco anos lutou contra uma terrível enfermidade. Um grande exemplo de vida. Que Deus a tenha. 30/05/54  
02/11/01  
 
Em busca de holofotes  
 
Enquanto a sociedade capixaba e a classe política abominam o secretário municipal da Comunicação de Vitória, Luiz Carlos Azedo, este prefere ignorar as cobranças que a Câmara de Vereadores de Vitória vem fazendo sobre a sua atuação, e na edição do último dia 18 de “A Gazeta”, assina extenso artigo em que, estilo ultrapassado e cansativo à parte, faz duras críticas ao governo e ao governador José Ignácio Ferreira. O sr. Azedo talvez esteja buscando um pouco do holofote que lhe falta na Prefeitura – ou por ausência de assunto, ou por falta de competência mesmo.  
 
No outro é melhor  
 
O procurador-chefe José Maria de Oliveira, ex-sócio de José Ignácio na próspera banca de advocacia, desistiu de concorrer, como pule de dez, à vaga aberta por Mariazinha Vellozo Lucas no Tribunal de Contas.  
Na verdade, ele vai esperar o Tribunal de Justiça.  
O nome do novo conselheiro deve entrar em compasso de espera. O mais cotado vinha sendo Eliezer Siqueira.  
 
Prova dos nove  
 
Ficou provado porque João Luiz Teixeira (PTB) há 30 anos é vereador na Serra, tendo sido presidente da Câmara por quatro vezes.  
Mantendo a tradição, na comemoração de seu aniversário, no último dia 14, a sua casa em Jacaraípe abriu quando o dia amanheceu e só fechou no final da noite.  
Por lá passaram quase mil pessoas para cumprimentá-lo e participar da churrascada e do forró.  
 
Bombas  
 
Duas bombas de efeito devastador vão causar um furacão no quadro político capixaba, arrastando lideranças de peso no eixo Vila Velha e Cachoeiro. O disse-que-disse ainda corre em segredo de Justiça, mas tudo tem limite e no Judiciário o prazo legal existe pra valer e ser respeitado. Logo, logo, a coisa toda virá à tona e será um Deus-nos-acuda. Então, o bom-tom mandará lembrar que, se um dia é da caça, todos os outros são do caçador...  
 
Batom  
 
Foi um exagero a quantidade de batom que a equipe produtora do programa do excelente presidenciável Tasso Jereissati lhe espalhou sobre os lábios. A maquiagem, que é um recurso natural em qualquer campanha, deve ser utilizada com muito cuidado porque senão, ao invés de ajudar, atrapalha.  
 
Um morto muito vivo  
 
O senador Paulo Hartung ainda não aprendeu a lição: perdeu a convenção por subestimar o adversário, foi derrotado nas eleições novamente por não reconhecer a capacidade de seus opositores e agora, sem lembrar que apressado come cru, já anda às turras com o Max Mauro pai na disputa ferrenha dos despojos políticos do governador José Ignácio Ferreira, que os dois e outros desavisados consideram sepultado politicamente. Enquanto isso, o governador José Ignácio Ferreira, malandramente, deixa os dois brigarem enquanto finge-se de morto...

  
Marco Aurélio

Tovar

Fátima amiga, adeus

Copyright © 2001, Vida Brasil. - Todos os direitos reservados.