Vidabrasil circula em Salvador, Espírito Santo, Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo Edição Nº: 288
Data:
15/8/2001
Capa | Edições anteriores| Assine já | Fale com a redação
Página visitada: 1446363 vezes
» Índice
» Social
Encontro de Líderes
» FROM BRASILIA
Casamento de Juliana e Rodrigo une as famílias de Paulo Zuba e Sérgio Albuquerque de Abreu Lima
» Editorial
Apelo ao Espírito Santo
» TURISMO
Roterdã Ateliê a céu aberto
» NEGÓCIOS
Transferências de luxo
» 16 ANOS, 160 PÁGINAS
VidaBrasil vai completar 16 anos, dia 31 de agosto, e comemorar com grande evento no Centro de Convenções de Vitória e edição especial de 160 páginas
» TRIANGULO
Após recarregar as baterias na Europa, o presidente da AL, JC Gratz, volta para sacudir a política
» MOMENTO
Gente célebre e bonita no terceiro aniversário do grupo Garotos da Praia
TRIANGULO

Lula & César  
 
Quem está tiririca com o presidenciável Luiz Inácio Lula da Silva é o governador César Borges, da Bahia. O petista não se cansa de espalhar nas suas falas que o governador foi o responsável pela greve – que aliás foi considerada por todos um motim – da polícia baiana. Borges entende como irresponsáveis e oportunistas as declarações do incansável candidato à Presidência da República.  
 
Bem-vindo  
 
Guilherme Patrus Mundim Pena, 37 anos, nascido em Belo Horizonte.  
Jornalista formado pela UFMG, em 1986.  
Com 20 anos de carreira, trabalhou no “Jornal de Minas”, “Diário da Tarde” e no “Estado de Minas”, nas mais diversas funções: de repórter de polícia a editor de primeira página, até 1998.  
Atuou também como assessor de Comunicação, com passagens pela Secretaria de Estado de Obras Públicas (1987-1988) e pela Acesita Aços Especiais, de 1990 a 1997. Após sua privatização, em 1993, foi secretário do Conselho de Administração da empresa.  
Em 1998, entrou para a “Gazeta Mercantil”, pelas mãos do capixaba Valério Fabris, sendo convidado para abrir a Unidade Regional do Triângulo Mineiro, a primeira do jornal no interior do país, fora do Estado de São Paulo. Lá, viabilizou a impressão simultânea do jornal e lançou a edição regional. Acaba de ser transferido para a direção da Unidade Regional Espírito Santo, novamente a convite de Valério Fabris, recém-nomeado diretor geral da Rede Nacional de Jornais, e de outro querido capixaba, Xerxes Gusmão Neto, diretor de Comercialização e Marketing do jornal, em São Paulo. Bem-vindo!  
 
O fiel da balança  
 
A nota abaixo, “O golpe”, escrita por volta do dia 05/07, portanto, há quase um mês, já traduzia o que deveria ocorrer com o presidente da Assembléia Legislativa, José Carlos Gratz. Ao se vislumbrar a possibilidade de que ele viesse a assumir o comando do ES, na última semana, uma revista nacional, especializada em transformar notícias em “samba-do-crioulo-doido”, traz uma matéria tresloucada agredindo o parlamentar capixaba que tem se mostrado, na hora da verdade, como um dos poucos homens de bom senso no momento difícil que o Espírito Santo atravessa. Ele pode ser o fiel da balança na garantia da governabilidade do Estado. Todos os envolvidos no processo sabem porquê. Principalmente o governador.  
 
 
O golpe  
 
São impressionantes os sentimentos que o deputado José Carlos Gratz desperta em certos setores da mídia e, principalmente, nos seus adversários. A mídia insiste em apresentá-lo como “indiciado” na CPI do Narcotráfico, embora até hoje não haja uma provinha sequer que condene o parlamentar. Utiliza também o torpe recurso de sempre mostrá-lo em fotos onde o rosto está deformado por movimentos do maxilar ou piscar de olhos. Junto com os adversários políticos de Gratz, a tal mídia não hesita em atirar, sempre que o deputado põe a cabeça de fora em momentos importantes.  
Quando lançou-se candidato ao Senado, transformou-se em alvo da CPI que deu no que deu: pizza malfeita. Agora, quando aparece como o principal mediador da crise que se abate sobre o governo José Ignácio, a “certa” mídia, seus adversários e a esquerda acusam-no de estar articulando um golpe para tomar a direção do Estado. Na realidade, todos estes setores estão mesmo é apavorados com o andar da CPI da Propina que pode desaguar numa solução que não é a melhor para a esquerda. Golpe, sim, é articular uma intervenção federal para impedir que se cumpra a Constituição.  
 
 
Retirada estratégica  
 
Vai para Roma o ministro Andrea Matarazzo, o homem que detinha o “poder” da comunicação de FHC. Vai em boa hora. Deixa saudades.  
 
Herdeiro  
 
Além dos aviões de carreira, há um algo a mais no ar ou nos ares capixabas. Diz respeito às licitações da publicidade oficial. Diga-se de passagem que o secretário Eugênio Buery é apenas herdeiro.  
 
De morte ou de dor  
Quem se lembra de um certo ex-governador que por muitos anos degladiou-se trocando acusações, muitas delas pessoais, com um certo político (hoje prefeito no interior) e agora os vê juntos defendendo a moralidade, fica estarrecido com a classe política. Já quem assistiu algumas reuniões onde o tal ex-governador mandou torrar dinheiro público para eleger seu sucessor e ver este mesmo cidadão à frente de movimentos em defesa da moralidade, não só fica com vergonha da classe política, tem mesmo é vontade de morrer. Ou, quem sabe, de sair matando todos eles.  
 
Estrangeiros  
 
Uma coisa interessante a se observar é que a grande maioria dos ladrões envolvidos no imbróglio das propinas foram quase todos importados. Ninguém antes ouvira falar deles aqui no Espírito Santo.  
 
Santo forte  
 
Passou o inferno astral do ex-senador ACM. Baterias recarregadas, decide se volta pelo voto legítimo ao Senado ou ao governo da Bahia. Enquanto isso, pavimenta-se o caminho de Jader Barbalho para a cassação. Como ladrão.  
Já o mais novo arqui-inimigo de ACM na política baiana, o deputado Gedel Vieira Lima, quem diria, acaba de ser confirmado como autor de um desvio milionário no Baneb. O santo de ACM é forte mesmo!  
 
Resposta  
 
Badalado por um grupo capixaba que lhe fornece garotos e drogas, um certo jornalista, louco por notoriedade e acobertado pelo poderio de uma revista que ataca as pessoas sempre que rola algum interesse ou se abre a oportunidade de vender escândalos, acaba de desferir uma “notinha” covarde tentando atingir a pessoa errada. Injusta e mentirosa, a “notinha” com certeza serve para o jornalista bajular aqueles que lhe oferecem “certos prazeres e interesses”. Seja jornalista, não seja moleque e portador da ideologia dos seus comparsas.

  






Rastro Encontra-se no Espírito Santo, oferecendo seus serviços, o publicitário ou jornalista Ruy Nogueira. O profissional em questão deixou suas pegadas na Vasp e posteriormente no caso José de Paiva Neto/LBV.

Copyright © 2001, Vida Brasil. - Todos os direitos reservados.