UM FAMILIAR PARA MR.BOND

terça-feira, 20 de março de 2012

A Aston Martin é a última das jóias da coroa britânica, uma marca de luxo que tem resistido à concentração empresarial que reduziu a cinzas as aristocráticas marcas automóveis que faziam o orgulho da Velha Albion. A Jaguar, por exemplo, é agora controlada pelo poderoso grupo indiano Tata, numa ironia pós-colonialista que faria Mr. Ghandi sorrir...

UM FAMILIAR PARA MR.BOND



A Aston Martin é a última das jóias da coroa britânica, uma marca de luxo que tem resistido à concentração empresarial que reduziu a cinzas as aristocráticas marcas automóveis que faziam o orgulho da Velha Albion. AJaguar, por exemplo, é agora controlada pelo poderoso grupo indiano Tata, numa ironia pós-colonialista que faria Mr. Ghandi sorrir...

Por sua vez, a Aston Martin é detida por um fundo de investimentos do Kuwait que comprou a marca à Ford, e o novo Rapide é o primeiro carro da marca a não ser produzido em solo inglês. Mas isso não lhe retira o seu distinto e elegante caráter, marca de água de um construtor automóvel nascido em 1913, quando dois mecânicos e companheiros de ciclismo ingleses decidiram aventurar-se no negócio dos automóveis, primeiro vendendo carros da Singer e depois criando a sua própria marca com o nome de um dos fundadores (Lionel Martin) e o nome de uma rampa disputada em Aston Clinton.


Ao longo do século XX, a Aston Martin foi construindo uma sólida reputação no fabrico de velozes e requintados automóveis esportivos, alcançando notoriedade na competição (vencendo as 24 Horas de Le Mans) e também com a sua associação a James Bond.

Sean Connery dirigiu pela primeira vez um Aston Martin DB5 em "Goldfinger" e a partir daí o Aston Martin passou a ser o carro eleito por 007. Curiosamente, o carro dirigido por Sean Connery nesse filme foi roubado há pouco tempo de um hangar em Boca Raton, numa operação digna de Dr. No.




Com o novo Rapide, James Bond pode constituir família, porque este é o primeiro modelo com uma carroceria de cinco portas e quatro lugares individuais da Aston.



Uma silhueta impressionante com cinco metros de comprimento, mas com um design fluido, capaz de criar um trompe-l'oeil aos mais desatentos, já que parece um enorme cupê. Para anima-lo e poder competir de igual para igual com o novo Porsche Panamera Turbo, o Aston Martin recorre a um motor V12 de 476 cavalos e um câmbio automática de seis velocidades, o que lhe permite acelerar do 0 aos 100 km/h em 5,3 segundos e alcançar uma velocidade máxima de 296 km/h, valores que o colocam abaixo da sua concorrência mais direta, em termos de prestações. Mas a suavidade, souplesse e conforto com que o Aston Martin entrega esta potência dificilmente encontra rivais na sua classe.


Autor: R. Pelejão
Publicação vista 1943 vezes


Existe 0 comentário para esta publicação
Enviar comentário


Confira na mesma editoria:
Volvo V90 T8 Plug-in Hybrid – classe sueca
Volvo V90 T8 Plug-in Hybrid – classe sueca
Novo GLE Cupê SUV da Mercedes e a versão AMG
Novo GLE Cupê SUV da Mercedes e a versão AMG
Copyright 2014 ® Todos os Direitos Reservados.