Vidabrasil circula em Salvador, Espírito Santo, Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo Edição Nº: 302
Data:
15/3/2002
Capa | Edições anteriores| Assine já | Fale com a redação
Página visitada: 1545097 vezes
» Índice
» Editorial
Pedágio Publicitário
» Paladar
Algumas dicas importantes para charuteiros
» Saúde
Estudo realizado em hospital público de Londres garante que música e artes plásticas curam doenças
» Autos
Cada vez mais independentes, mulheres já formam 11% do público consumidor de picapes no Brasil
» Boca Miuda
Casal 21
» Triangulo
Dentro de trinta dias, em todo o país, o poder começará a trocar de mãos
» Turismo
Conheça o interminável encanto das ilhas da Polinésia, terra favorecida pelos deuses
Autos

Raça com alma feminina  
 
As mulheres, a cada dia mais independentes, participativas nas decisões econômicas familiares, vanguardistas, ousadas, adeptas de esportes radicais, vão representando um nicho de mercado que leva os fabricantes de picapes a repensarem suas estratégias na hora de lançar um produto.  
Foi o que revelaram os profissionais da Ford do Brasil ao promoverem, no Espírito Santo, tendo Apolo Riszk, da Contauto, como anfitrião, o lançamento regional da Ranger 2002, com novo motor a diesel turbinado power stroke 2.8 L, e detalhes em seu design e em itens de acabamento interno e externo para satisfazer aos mais exigentes padrões de seus consumidores.  
Nos Estados Unidos, as mulheres significam 30% do público consumidor de picapes, no Brasil esse índice ainda está em 11%, mas mostra considerável crescimento, o que chama a atenção dos fabricantes. Cada vez mais as mulheres são vistas na direção desses utilitários, principalmente nas cidades.  
Outro detalhe lá levantado pela Ford é que nenhum homem compra um carro desses sem a opinião da mulher. Então, o negócio é criar itens que possam agradá-las. Dentre eles, as cores, que seguem tendências do mundo das roupas.  
Reações - “Estudamos o estilo de vida das pessoas para definir estratégias de marketing”, salientou Antônio De Lucca, engenheiro-chefe de desenvolvimento de produtos da Ford Motor Company Brasil, ainda sediada em São Bernardo do Campo (SP).  
VidaBrasil testou a Ranger 2002 numa companhia feminina, de olho em suas reações. A jornalista Márcia Branki acompanhou o jornalista da revista durante os 100 quilômetros do test drive de Vitória a Pedra Azul, em Domingos Martins. Márcia, que pretendia dirigir apenas “um pouquinho”, tomou gosto e conduziu a picape por mais de um terço da viagem, aprovando o que viu e testou.  
E não precisa ser mulher para notar que a nova Ranger tem mesmo as vantagens prometidas pelo fabricante. A direção é leve, o câmbio macio, o espaço interno satisfatório, a poltrona confortável, e toda a carroceria firme.  
Valentia - Só se percebe que ela é a diesel porque já se sabe disso. Sua valentia e o baixo índice de ruídos, tanto interno quanto externo, sobram quando se fala em utilitário movido a esse combustível. Com mais uma vantagem: faz 13,6 km por litro na estrada e 9,7 km na cidade. É só comparar a economia na hora do abastecimento.  
A picape foi testada não apenas no asfalto da BR-262, mas também numa fugida pela estrada de barro entre a rodovia e o Parque do China, no distrito de Aracê. São cinco quilômetros de ligação, totalizando 10 quilômetros de percurso, ida e volta.  
Carro para uma tonelada, vazia e na estrada de terreno barro arenoso a Ranger sai de traseira nas curvas se estiver acelerada, sendo preciso muito equilíbrio no pedal e olho no contagiros para evitar derrapagem. Normal, para um veículo de sua categoria, programado para carga, segundo o jornalista Roberto Costa, produtor e editor do programa Autos&Máquinas, na tevê cearense.  
Sua capacidade para transpor terrenos acidentados, porém, é animadora. A Ranger responde bem à aceleração e avança com disposição entre buracos e saliências do terreno irregular da estradinha vicinal e íngreme, erodida pelas chuvas recentes, já no interior do parque do Ribeirão dos Lagos. Sobe e desce sem querer respeitar limites.  
Público-alvo - As promessas do fabricante passam mesmo por aí: o mais potente da categoria, o de maior torque, tecnologia única de alimentação por Turbocompressor de Geometria Variável (TGV), menor nível de ruído interno e externo, diferencial antiderrapante, estilo robusto, e por aí vai, fruto de investimentos de 10 milhões de dólares na fase de pesquisa e testes.  
A Ranger 2002 4x4 turbo diesel está disponível com cabines simples, cabines alongadas (o que a Ford chama de supercab) e que não serve apenas para colocar coisas, mas tem espaço para gente, e a cabina dupla. Três modelos para atender a diferentes públicos, indo dos solteiros ou solteiras, casais jovens e sem filhos, até famílias já maiores, que querem fazer da picape seu automóvel.  
Para quem sonha com a raça forte da Ranger 2002, com um toque feminino nas cores e no modelito, os preços variam de R$ 50,209 mil a R$ 70,397 mil


Detalhes:Motor – Power Stroke Turbo Diesel 2.8 L, 2.785 cm3

Copyright © 2001, Vida Brasil. - Todos os direitos reservados.